Novidades 30/04/2013
 
Casa nova

Hospedado por Estado Virtual
Mais uma mudança, após alguns dias fora do ar, novamente realizamos a mudança de moradia.

Estamos hospedados em um quarto de luxo pela empresa Estado Virtual.

A recepção foi boa, e pelo porte da empresa vemos que não teremos com o que nos preocupar.

Um grande abraço a todos.

Pens@dor - WebMaster
 

Últimas 15 Histórias de Amor
 
» quando te conheci
» Você Precisa saber.
» " O AMOR EM FLOR , EU E VOCÊ "
» Fim de jogo
» WAGUINHO RJ
» " AMOR , AMOR , SOLIDÃO NÃO "
» amo a minha melhor mãe do mundo
» QUERIAPODER FUGIR...
» " DOIS CORAÇÕES CHEIO DE AMOR "
» VIDA...
» PAIXÃO
» PAIXÃO
» EU CHOREI**/*/*/*
» ****** NOSSO AMOR É *******
» Tempo..
 

Último Pensamento
 
Amei-te e por te amar
Só a ti eu não via...
Eras o céu e o mar,
Eras a noite e o dia...
Só quando te perdi
É que eu te conheci...
Quando te tinha diante
Do meu olhar submerso
Não eras minha amante...
Eras o Universo...
Agora que te não tenho,
És só do teu tamanho.
Estavas-me longe na alma,
Por isso eu não te via...
Presença em mim tão calma,
Que eu a não sentia.
Só quando meu ser te perdeu
Vi que não eras eu.
Não sei o que eras. Creio
Que o meu modo de olhar,
Meu sentir meu anseio
Meu jeito de pensar...
Eras minha alma, fora
Do Lugar e da Hora...
Hoje eu busco-te e choro
Por te poder achar
Não sequer te memoro
Como te tive a amar...
Nem foste um sonho meu...
Porque te choro eu?
Não sei... Perdi-te, e és hoje
Real no [...] real...
Como a hora que foge,
Foges e tudo é igual
A si-próprio e é tão triste
O que vejo que existe.
Em que és [...J fictício,
Em que tempo parado
Foste o (...) cilício
Que quando em fé fechado
Não sentia e hoje sinto
Que acordo e não me minto...
[...] tuas mãos, contudo,
Sinto nas minhas mãos,
Nosso olhar fixo e mudo
Quantos momentos vãos
Pra além de nós viveu
Nem nosso, teu ou meu...
Quantas vezes sentimos
Alma nosso contacto
Quantas vezes seguimos
Pelo caminho abstracto
Que vai entre alma e alma…
Horas de inquieta calma!
E hoje pergunto em mim
Quem foi que amei, beijei
Com quem perdi o fim
Aos sonhos que sonhei…
Procuro-te e nem vejo
O meu próprio desejo…
Que foi real em nós?
Que houve em nós de sonho?
De que Nós fomos de que voz
O duplo eco risonho
Que unidade tivemos?
O que foi que perdemos?
Nós não sonhámos. Eras
Real e eu era real.
Tuas mãos — tão sinceras…
Meu gesto — tão leal...
Tu e eu lado a lado...
Isto... e isto acabado...
Como houve em nós amor
E deixou de o haver?
Sei que hoje é vaga dor
O que era então prazer...
Mas não sei que passou
Por nós e acordou...
Amámo-nos deveras?
Amamo-nos ainda?
Se penso vejo que eras
A mesma que és... E finda
Tudo o que foi o amor;
Assim quase sem dor.
Sem dor... Um pasmo vago
De ter havido amar...
Quase que me embriago
De mal poder pensar...
O que mudou e onde?
O que é que em nós se esconde?
Talvez sintas como eu
E não saibas sentil-o...
Ser é ser nosso véu
Amar é encobril-o,
Hoje que te deixei
É que sei que te amei...
Somos a nossa bruma…
É pra dentro que vemos...
Caem-nos uma a uma
As compreensões que temos
E ficamos no frio
Do Universo vazio...
Que importa? Se o que foi
Entre nós foi amor,
Se por te amar me dói
Já não te amar, e a dor
Tem um íntimo sentido,
Nada será perdido...
E além de nós, no Agora
Que não nos tem por véus
Viveremos a Hora
Virados para Deus
E n'um (...) mudo
Compreenderemos tudo.
 
Autor:
Enviado: Caio
 

 

Grandes Imortais
 
Antônio Frederico de Castro Alves
Poeta brasileiro da última fase do romantismo (Muritiba, BA, 1847 - Salvador, 1871). Extremamente sensível às inspirações revolucionárias e liberais do séc. XIX, viveu com intensidade os grandes episódios históricos do seu tempo e foi, no Brasil, o anúncio da Abolição e da República; devotou-se apaixonadamente à causa abolicionista, o que lhe valeu a antonomásia de "Cantor dos escravos". Teve intensa vida sentimental, havendo desempenhado importante papel em sua lírica a ligação amorosa com a atriz Eugênia Câmara. Duas vertentes se distinguem em sua poesia: a feição social e humanitária, à Vitor Hugo, em que alcança momentos de fulgurante eloqüência épica; a feição lírico-amorosa, mesclada da sensualidade de um autêntico filho dos trópicos.
 


Datas Comemorativas
 
Qua. 22/10 Dia da Sedução
Qui. 23/10 Dia da Aviação e do Aviador
Sex. 24/10 Dia Mundial do Desenvolvimento
Sáb. 25/10 Dia do Sapateiro
Sáb. 25/10 Dia da Democracia
Sáb. 25/10 Dia do Dentista
Dom. 26/10 Dia Oficial do Músico
Ter. 28/10 Dia do Funcionário Público
Qui. 30/10 Dia do Comerciário
Qui. 30/10 Dia do Decorador
Sex. 31/10 Dia das Bruxas
Sáb. 01/11 Dia de Todos os Santos
Dom. 02/11 Dia de Finados
 


Mural de Recados
 
Mensagem para: -
Me sinto uma boba por ter agido daquela forma com você ontem. pior é não poder te pedir desculpas...! Saiba ao menos em pensamentos que gosto muito de você e que te peço perdão. deixemos esse momento inóspito no passado!
Fernanda
 

Últimos 15 Poemas
 
» cuide bem dele
» presença
» DECLARAÇÃO DE AMOR!
» De volta pra casa
» Jubilar
» Você Precisa saber.
» AO LONGO DA MINHA VIDA!!!
» ADEUS
» AMO VOCÊ DE CORAÇÃO
» VIDA!
» te encontrei
» AMOR & SONHO.
» Uma semana sem a parte principal do meu peito
» Daniela
» Recomeço
 


© Copyright 1998 - 2014 Poemas de Amor. Todos os direitos reservados.