Manuel Antônio Álvares de Azevedo
(São Paulo SP, 1831 - Rio de Janeiro RJ, 1852) Cursou Letras no Imperial Colégio de D. Pedro II, no Rio de Janeiro, e em 1848 matriculou-se na Faculdade de Direito de São Paulo. Nos anos seguintes, redigiu os poemas do romance A Noite na Taverna, o drama Macário e ensaios literários sobre Bocage, George Sand e Musset. Em 1849, discursou na sessão acadêmica comemorativa do aniversário da criação dos cursos jurídicos no Brasil. Três anos depois faleceria, sem chegar a concluir a faculdade. Sua obra, que abrange também os poemas da Lira dos Vinte Anos e a prosa do Livro de Fra Gondicário, foi reunida e publicada em 1942. Álvares de Azevedo é um dos principais nomes da segunda geração do romantismo brasileiro. Seus poemas, impregnados do spleen de românticos como Byron e Musset, tratam principalmente da morte e do amor, este freqüentemente idealizado. Outro traço importante da poesia de Álvares de Azevedo, segundo o crítico Antônio Cândido, é "o gosto pelo prosaísmo e o humor, que formam a vertente para nós mais moderna do Romantismo".
 
Dica: Clique no título de cada campo da tabela para ordenar a lista de Poemas.
Pode ser ordenada de forma Crescente () ou de forma Decrescente ().
 
Título VisitasEnvios
Adeus, Meus Sonhos!20521 vezes67 vezes
Ai, Jesus!10204 vezes37 vezes
Amor119538 vezes1051 vezes
Cismar7556 vezes19 vezes
Dinheiro5819 vezes10 vezes
É Ela! É Ela! É Ela! É Ela!32416 vezes47 vezes
Fragmento de Um Canto em Cordas de Bronze5160 vezes8 vezes
Glória Moribunda4771 vezes6 vezes
Idéias Íntimas I32067 vezes15 vezes
Idéias Íntimas II6041 vezes4 vezes
Idéias Íntimas III4077 vezes2 vezes
Idéias Íntimas IV3787 vezes5 vezes
Idéias Íntimas IX2724 vezes5 vezes
Idéias Íntimas V3216 vezes1 vez
Idéias Íntimas VI2618 vezes1 vez
Idéias Íntimas VII2725 vezes4 vezes
Idéias Íntimas VIII2760 vezes4 vezes
Idéias Íntimas X3337 vezes1 vez
Idéias Íntimas XI2578 vezes2 vezes
Idéias Íntimas XII3357 vezes4 vezes
Idéias Íntimas XIII2909 vezes1 vez
Idéias Íntimas XIV4136 vezes3 vezes
O Cônego Filipe3404 vezes4 vezes
O Editor3569 vezes4 vezes


 

© Copyright 1998 - 2015 Poemas de Amor. Todos os direitos reservados.